Para a proclamação do Evangelho e a edificação do Corpo de Cristo
Ano 12 • N° 64 • Outubro - Novembro - Dezembro 2011

EVANGELHO

O coração do Pai

Muitos, em sua ignorância, pensam que Deus é severo, e que permanece afastado do homem,
sem alterar-se por seus problemas
.

Deus é muito incompreendido pela maioria das pessoas. A imagem que se tem dele é a de um Juiz severo e vingador. No entanto, a parábola do filho pródigo nos mostra sua verdadeira natureza, assim como a ternura de seu amoroso coração.

O filho mais novo se aproxima do pai e com um tom decidido lhe pede a parte dos bens que lhe corresponde como herança. O pai se surpreende, e tenta dissuadi-lo, mas como ele está obstinado, o pai o concede.

Poucos dias depois, o filho se vai de casa, para muito longe. Em pouco tempo, desperdiça todo o seu dinheiro vivendo perdidamente.

Quando esbanja tudo, vem uma grande fome naquele lugar, e começa a lhe faltar. Aproxima-se a um homem rico quem lhe dá trabalho apascentando porcos. Não é o melhor ofício, mas não tem outra opção. Ali, muitas vezes deseja encher seu ventre com o alimento dos porcos, mas nem isso lhe dá.

Então cai em si e diz: «Quantos trabalhadores há na casa de meu pai que têm abundância de pão, e eu aqui pereço de fome!». Então decide voltar para casa e pedir perdão a seu pai. Não lhe pedirá que o trate como a seu filho, mas sim como a um dos seus trabalhadores.

Quando chega próximo de casa, seu pai o vê e o reconhece. Apesar das suas vestimentas estarem esfarrapadas, e seu aspecto ser o pior, ele o reconhece. Então, o pai, cheio de compaixão, corre para ele, se lança sobre o seu pescoço, e o beija efusivamente.

O filho começa, entre soluços, a pedir perdão a seu pai. Mas o pai lhe interrompe docemente para ordenar a seus servos que cuidem dele.

Que tragam o melhor vestido para lhe vestir! Que ponham um anel em sua mão! Que lhe ponham um belo calçado! Que tragam o animal mais gordo e que o sacrifiquem! Que haja comida e também festa! Os servos correm para cumprir as suas ordens. Nunca tinha mandado com tanta urgência! Então, diz o pai, com voz entrecortada: «Meu filho estava morto, e reviveu. perdeu-se e o recuperei».

***

Há muitas pessoas que não conhecem a Deus, e que lhe atribuem um caráter duro, e um coração insensível. Muitos homens e mulheres, em sua ignorância, pensam que Deus é severo, e que permanece afastado do homem, sem incomodar-se com os seus problemas.

Se olharmos a Deus à luz de algumas passagens do Antigo Testamento, nos parecerá que os homens têm razão. No entanto, nesse tempo, Deus não tinha dado a conhecer ainda o seu precioso caráter. Deus o mostrou, somente quando Jesus Cristo se manifestou.

O Senhor disse que, por meio de parábolas, diria coisas que estavam escondidas desde a fundação do mundo. João diz que ninguém jamais viu a Deus, mas que o unigênito Filho o deu a conhecer. O Senhor disse a Felipe que aquele que via a ele, via o Pai.

Que coisas estavam escondidas desde a fundação do mundo? Uma das mais importantes é esta: saber como pensa, como sente, e como Deus ama.

Através desta história, o Senhor Jesus nos mostra como Deus ama os homens. Todos nós fomos como este filho néscio. Quando pecamos em Adão, saímos da casa paterna. E Deus, o Pai, espera agora que voltemos para o nosso lar. Outros, havendo já estado na casa do Pai, saíram de casa para viver irresponsavelmente.

Como Deus irá nos receber, caso voltemos? Ele nos reprovará por nosso desencaminhamento? Nos condenará? Certamente que não, porque em seu coração só há perdão e misericórdia.

É preciso voltar-se para Deus para receber o seu perdão, e sermos restaurados na condição de filho.

Você quer fazê-lo agora mesmo? Oremos: «Oh Deus, estive longe, e pequei contra ti; perdoe-me e receba-me. Creio que Jesus pagou o preço por este perdão. Obrigado, Pai. No nome de Jesus».