Uma revista para todo cristão
Ano 8 · Nº 47
Setembro - Outubro 2007

Uma revisão das prioridades da nossa vida para aproveitar bem o tempo.

Remindo o tempo

Billy Pinheiro (Brasil)

"Vede, pois, com diligência como andeis, não como néscios mas como sábios, remindo o tempo, porque os dias são maus. Portanto, não sejais insensatos, mas entendei qual seja a vontade do Senhor" (Efésios 5:15-17).

Queria enfatizar o versículo 16 desta passagem: "...remindo o tempo, porque os dias são maus". Passei algumas experiências nos últimos anos com o Senhor, e recentemente ele pôs este versículo em meu coração, como exortação no meu coração, me advertindo e ao mesmo tempo me estimulando.

"Aproveitando bem o tempo". A versão em português traduz "remindo o tempo", ganhar o tempo, aproveitando ao máximo o tempo, porque os dias são maus. Estamos vivendo dias muito difíceis. E se ainda não os estamos vivendo, irão chegar esses dias difíceis; e precisamos olhar para o Senhor, para nos animar e para nos fortalecer.

Nestes dias, o Senhor tem falado particularmente ao meu coração, para que eu mesmo possa me voltar para ele e remir o tempo que ele tem me dado. Vivemos dias muito trabalhosos, e toda sorte de coisas tem acontecido para roubar o nosso tempo. Todos nós temos vinte e quatro horas por dia, mas parece que há tantas coisas para fazer, que não temos tempo para o Senhor. Algo está errado conosco. Talvez não com vocês, mas sim comigo.

Nestes dias, o Senhor tem tocado o meu coração, para pôr algumas coisas em ordem em minha vida, porque por algum tempo, nos anos recentes, tenho estado tão ocupado com algumas coisas, que há algumas coisas muito importantes do Senhor que foram postas de lado. Mas graças ao Senhor, que ele tem falado conosco, e espero e desejo que o Senhor fale com cada um de vocês.

Quando pensamos neste assunto de remir o tempo, há alguns pontos importantes. Hoje eu gostaria de compartilhar dois pontos importantes.

As prioridades da nossa vida

Quando pensamos em como usar o nosso tempo ou como usá-lo melhor para o Senhor, uma primeira coisa que precisamos ver é quais são as prioridades do nosso coração, quais são as coisas mais importantes. E poderíamos nos perguntar: Será que o Senhor tem algum critério para nos dizer qual é a coisa mais importante?

Ainda que sejamos família celestial, povo celestial, nós estamos vivendo na terra. Não somos deste mundo, mas vivemos aqui. E precisamos olhar para o Senhor e perguntar a ele qual é a prioridade que ele tem para a nossa vida.

Eu creio que quando o Senhor, pelo Espírito Santo levou Paulo a escrever Efésios, o Senhor o conduziu a colocar as coisas em uma ordem de prioridade para nós. E a primeira coisa nessa prioridade é a nossa vida com Deus. Se continuarmos lendo os versículos seguintes aos que já lemos, veremos que há uma seqüência, uma ordem. A primeira delas está no versículo 18:

"Não vos embriagueis com vinho, no qual há dissolução; mas enchei-vos do Espírito, falando entre vós com salmos, com hinos e cânticos espirituais, cantando e louvando ao Senhor em vossos corações; dando sempre graças por tudo a Deus e Pai, no nome de nosso Senhor Jesus Cristo. Submetei-vos uns aos outros no temor de Deus" (v. 18-21).

Quando nós pensamos em prioridades, no que gastar o nosso tempo, então precisamos ver qual é o primeiro lugar que Deus coloca para nós. Eu entendo que aqui a primeira coisa que o Senhor põe é a nossa vida diretamente com ele. A prioridade número um para nós é a nossa vida com o Senhor.

Mas Paulo continua escrevendo. A segunda coisa da qual fala é a relação entre marido e mulher. (Ef. 5: 22-33). Esta é uma segunda prioridade para nós, para aqueles que estão casados. E o terceiro que Paulo fala é sobre os filhos, a família. (Ef. 6:1-4). A quarta prioridade na seqüência é com respeito ao nosso trabalho, a respeito dos servos e os patrões. (Ef. 6:5-9). E por último, ele fala do nosso ministério, da nossa guerra espiritual, do nosso serviço aos santos, da nossa vida de oração. (Ef. 6:10-20).

Então, se hoje desejamos ordenar o nosso tempo segundo a vontade de Deus, é importante que vejamos estas prioridades. Por isso o Senhor está dizendo que devemos viver prudentemente, como sábios, e não como néscios. Precisamos procurar conhecer a vontade do Senhor.

Qual é a vontade do Senhor para nós? Há muitos anos atrás, quando comecei a seguir ao Senhor, eu não tinha clareza a respeito destas prioridades. Então, por algum tempo, as prioridades da minha vida estavam invertidas, e sempre há um prejuízo quando isso acontece. Neste assunto de remir o nosso tempo, necessitamos em primeiro lugar ver as prioridades do Senhor. Muitas vezes temos percebido no meio do povo de Deus muitos prejuízos, muitos desastres, muitas pessoas feridas, porque essas prioridades estão invertidas.

É muito natural que em primeiro lugar nós tenhamos ao Senhor. Isto está claro na Palavra. Precisamos buscar em primeiro lugar o reino de Deus e a sua justiça, e todas as demais coisas nos serão acrescentadas. Mas muito freqüentemente invertemos essa ordem, procuramos as outras coisas e não procuramos o reino de Deus; e ficamos sem o reino de Deus e também sem as outras coisas. Se procurarmos as outras coisas e não o reino de Deus, não recebemos nem as outras coisas nem o reino de Deus.

É um grande prejuízo quando não percebemos as prioridades de acordo com a vontade do Senhor. Às vezes, temos muitas desculpas para não fazer a Sua vontade. Como o Senhor Jesus falou com os escribas e fariseus, ele estava chamando a sua atenção porque eles diziam que se fosse oferecido alguma coisa ao Senhor e descuidassem dos seus pais, isso estaria bem. E o Senhor lhes disse: "Não, vocês estão invalidando a Palavra de Deus".

Muitas vezes dizemos que queremos servir ao Senhor, e deixamos de lado os nossos pais ou a nossa família, e isto é uma inversão das prioridades de Deus. Às vezes, nós que somos casados, queremos servir ao Senhor, e colocamos a obra em primeiro lugar. Mas Deus nos diz que devemos ser fiéis no pouco, e ele nos porá sobre o muito. Muitas vezes ser fiéis no pouco significa dar atenção às nossas famílias, às nossas esposas. Isto é muito importante.

Conheço alguns servos do Senhor, que depois de muitos anos de trabalhar na obra de Deus tem nos dito que se começassem novamente, não fariam como fizeram, porque eles tinham a ordem invertida, deixaram a sua família em um grande prejuízo por causa da obra de Deus.

Não me entendam mal; não estou querendo dizer que não temos que estar na obra do Senhor. Mas é necessário ter um equilíbrio. Para que sejamos edificados, para que haja harmonia em nossas vidas, para que o nosso tempo seja bem investido, precisamos ter essa ordem de Deus muito claro em nossos corações.

Às vezes, temos colocado o nosso trabalho em primeiro lugar. E dizemos: 'Eu preciso trabalhar para sustentar a minha família', e então trabalhamos muito. Muitas vezes isso é um engano de Satanás. Lembrem do povo de Deus no Egito. Uma das estratégias de Satanás, a estratégia de faraó, foi pôr mais trabalho sobre o povo. Faraó disse: 'Vocês estão com muito tempo ocioso, por isso vocês querem oferecer sacrifícios ao Senhor. Então, eu vou tirar-lhes a palha, e terão que produzir mais tijolos'.

Esse é um sistema que impera hoje também. Tiram a palha e temos que produzir mais. Precisamos colocar as coisas em ordem. As prioridades de Deus devem estar em seu lugar; e também temos que fazer todas as coisas de acordo com a Sua vontade. Por isso, esta palavra de Paulo é muito importante.

Devemos viver, não como néscios, mas como sábios; devemos procurar a vontade de Deus. Então o Senhor nos mostra qual é a sua vontade, como vamos ter uma vida equilibrada, para remir o nosso tempo. Esse é o primeiro ponto. É muito importante. Que o Senhor nos abençoe e nos dê clareza a respeito das suas prioridades; que não invertamos essas prioridades, e que também não enfatizemos mais umas em detrimento de outras.

Quando temos as prioridades em sua ordem correta, a nossa vida com Deus, a nossa busca do Senhor, ele irá nos dar sabedoria para ter as outras prioridades em ordem. Que o Senhor nos abençoe nisto.

Contando os nossos dias diante do Senhor

O segundo ponto importante quando nós pensamos em remir o nosso tempo, em ganhar o nosso tempo, é quando sabemos contar bem os nossos dias diante de Deus. Quando Moisés estava no final de sua vida, ele fez uma oração muito importante: "Ensina-nos a contar os nossos dias, de tal modo que alcancemos corações sábios" (Sal. 90:12).
Essa é uma oração importante para nós. Moisés era alguém que tinha muita intimidade com o Senhor. A Escritura diz que o Senhor falava com Moisés como um amigo, face a face. Mesmo assim, Moisés estava pedindo sabedoria. Se Moisés pediu, quanto mais nós precisamos pedir sabedoria para contar os nossos dias?

A Palavra de Deus, principalmente no Antigo Testamento, tem muitos exemplos de Deus contando os dias do povo de Israel, e também há exemplos de dias e anos perdidos, quando Deus não contou o tempo de Israel.

Pode ser que muitas vezes, os nossos dias, os nossos anos, não estejam sendo contados pelo Senhor. Se há alguém aqui ainda que não teve um encontro com o Senhor Jesus, queremos lhe dizer que, espiritualmente, você não tem nenhum dia na presença do Senhor. É necessário arrepender-se, crer no Senhor Jesus e confessar-lhe como Senhor, e então ele vai te salvar, e algo espiritual, algo maravilhoso, acontecerá com você - Você vai nascer de novo, e vai ter o seu primeiro dia de vida diante de Deus.

Às vezes nós passamos muitos anos caminhando com o Senhor. Alguns de nós nascemos de novo faz vinte, trinta ou cinqüenta anos. Mas isso não significa que todos esses anos foram contados diante do Senhor. Às vezes, os nossos dias, nossos anos, têm sido consumidos por coisas que não agradam ao Senhor e não foram vividos na presença do Senhor, não foram vividos na ordem que Deus pôs. Necessitamos nos voltar para o Senhor, e fazer esta oração que Moisés fez: "Senhor, ensina-nos a contar os nossos dias, e nos dê um coração sábio para contar estes dias".

A figura do gafanhoto

Quero ler um versículo no livro de Joel. Há uma promessa de Deus aqui. Talvez Deus possa falar com seu coração da mesma maneira que falou comigo através deste versículo. Como disse no começo, freqüentemente o Senhor falou comigo me exortando, ou me animando, e também me advertindo. E este é um caso; é uma promessa do Senhor ao seu povo: "E vos restituirei os anos que foram comidos pela locusta voadora, a devoradora, a destruidora e a cortadora, o meu grande exército que enviei contra vós" (Joel 2:25).

Esta é uma promessa do Senhor. O povo de Deus tinha vivido longe da vontade do Senhor, e por essa razão esses anos haviam sido consumidos, haviam sido perdidos. Mas agora o Senhor está prometendo-lhes que restituiria os anos que haviam sido consumidos.

Às vezes nós olhamos para trás, depois de algum tempo seguindo ao Senhor, e nos sentimos frustrados, porque parece que muitas coisas não valeram a pena; parece que perdemos muito tempo com tantas coisas, e não tivemos as prioridades de Deus bem fortes em nosso coração; parece que aquele tempo foi consumido, que não tem nenhum valor.

O Senhor promete que vai nos restituir esses anos. Talvez tenhamos perdido muito tempo até aqui, mas o Senhor está nos prometendo que ele vai restituir esses anos. Ele pode fazer tudo novo para nós outra vez. Esta palavra é maravilhosa, e queria deixar-lhes esta palavra de encorajamento.

O Senhor vai restituir os anos perdidos. Não importa quantos anos foram perdidos, há esperança para todos nós! O Senhor é maravilhoso. Ele é um Pai bondoso, e pode nos dar novamente esse tempo, pode restaurar esse tempo perdido. Nosso Deus é um Deus de oportunidades. Talvez agora possamos olhar para o Senhor, e ele pode nos dar uma nova oportunidade e restituir os anos que foram consumidos.

Aqui em Joel está dizendo que os anos do povo de Deus foram consumidos pelo gafanhoto. Essa foi uma disciplina de Deus. No Antigo Testamento, no livro de Deuteronômio, o Senhor disse que quando o povo não estivesse vivendo de acordo com a sua vontade, quando o povo deixasse o Senhor de lado, e não fizessem de acordo com aquilo que Deus tinha ordenado, Deus ia permitir que o gafanhoto consumisse todo o seu trabalho.

Neste caso, o Senhor está dizendo agora que se nos voltarmos para ele, ele vai restituir os anos que foram consumidos pelo gafanhoto. Talvez nesta manhã, cada um de nós diante do Senhor precisa perguntar o que tem sido o gafanhoto em nossa vida. O Senhor, por seu Espírito, pode dar luz aos nossos corações e nos mostrar o que tem sido esse gafanhoto. Talvez seja uma vida muito ocupada, que não tem tempo para procurar o Senhor, ou o esfriamento do nosso coração, ou a desobediência do nosso coração. O Espírito de Deus pode falar com cada um de nós, pode iluminar os nossos corações e nos mostrar qual é o gafanhoto.

O gafanhoto pode consumir os nossos anos diante de Deus, e pode devorar todo o fruto do nosso trabalho. Então, é importante que venhamos diante de Deus e que o Senhor nos mostre, que abra o nosso entendimento e nos faça ver o que é que foi o gafanhoto em nossas vidas, para que os nossos dias sejam contados na presença do Senhor, para que possamos dizer como Paulo no final da sua vida: "combati o bom combate, completei a carreira, guardei a fé" (2ª Tim. 4:7).

Paulo completou a sua carreira, porque certamente os seus anos foram contados diante de Deus. Se não fosse assim, a sua carreira não teria sido completada. Mas, graças a Deus, ele pode dar esse testemunho de que completou a sua carreira. Nós temos o testemunho de Paulo que Deus é fiel, e Deus pode fazer que completemos a nossa também.

Mas se os nossos anos foram consumidos pelo gafanhoto, não será fácil completar a nossa carreira. Pelo contrário, pode ser que não a completemos, e isso seria uma coisa terrível diante do Senhor. Mas, graças a Deus pela bondade de Deus; uma e outra vez ele fala por seu amor para conosco. Ele nos chama a atenção como um Pai bondoso, nos mostra qual é o caminho que devemos seguir. O Senhor me mostrou muitos gafanhotos em minha vida. Graças a Deus, ele é poderoso e bondoso para restituir os anos que foram consumidos.

Alimentando-nos de gafanhotos

Há uma pessoa muito importante no Novo Testamento que viveu na vitória de Deus. É João Batista. Vocês se lembram qual era a comida de João Batista? Gafanhotos! Irmãos, este é um testemunho maravilhoso do Espírito Santo em sua Palavra. Aquelas coisas que podem fazer consumir os nossos anos são as mesmas coisas que podem também nos levar a contar os nossos dias diante de Deus e podem nos fortalecer no Senhor. João Batista se alimentava de gafanhotos. Os gafanhotos não consumiram os seus anos, mas ele se alimentava deles.

Muitas vezes as tribulações, as aflições da nossa vida, os problemas entre irmãos, os problemas na família, os problemas de saúde, os problemas financeiros e toda sorte de coisas, podem estar consumindo os nossos anos. Mas, se formos diante do Senhor, todas essas coisas vão nos fazer mais sábio e vão nos levar a contar os nossos dias diante de Deus. Vão nos fortalecer diante do Senhor, e ele vai usar isso como uma comida para nós.

Quando lembramos do povo de Deus que saiu do Egito para entrar em Canaã, o testemunho deles antes de entrar era que aquelas pessoas em Canaã eram gigantes, e eles se sentiam como gafanhotos. Então o povo murmurou diante de Deus. Mas duas pessoas, Josué e Calebe, proclamaram que o Senhor estava com eles, e porque o Senhor estava com eles e aqueles gigantes seriam como pão para eles.

Eu creio que não foi em vão que o Senhor, pelo Espírito Santo, tenha registrado que João Batista se alimentasse de gafanhotos. João Batista tem um testemunho diante de Deus, e uma das coisas maravilhosas na vida do profeta é que ele era um naziereu, uma pessoa consagrada ao Senhor. E como vocês se lembram, um nazireu não podia cortar o seu cabelo, não podia tocar em coisas mortas e também não podia tomar vinho.

Esta é uma situação importante para nós. Quando nós queremos comer os gafanhotos, quando queremos contar os nossos dias, precisamos nos consagrar ao Senhor, como um nazireu. Ter os nossos cabelos crescidos, não fisicamente, mas espiritualmente, significa negar-nos a nós mesmos, tomar a cruz e seguir ao Senhor, dia a dia.

Não é que o vinho, que alegra o coração do homem, seja pecaminoso. Nós podemos tomar vinho. Mas aqui, espiritualmente, é uma figura de que muitas vezes, por amor ao Senhor, deixamos de lado algumas coisas que são boas, para nos dedicar a ele.

Outra coisa que um nazireu fazia era não tocar em coisas mortas. Espiritualmente, isto nos fala que também não devemos tocar as coisas que aos olhos do Senhor são mortas. Precisamos estar diante de Deus em consagração, e ele é quem pode nos ajudar, porque em nós mesmos não temos forças. Mas com a ajuda do Senhor, por seu Espírito, podemos ir adiante e rogar-lhe que nos ajude a contar os nossos dias, e assim os nossos dias serão contabilizados pelo Senhor.

O Senhor tem nos dito, então, que devemos remir o nosso tempo. Que ele nos ajude, que ele nos fale ao coração, para que possamos remir o nosso tempo nestes dias tão maus, e correr a nossa carreira de forma que agrade ao nosso Pai, de forma que traga glória ao Senhor, e quando chegarmos diante dele possamos ouvir aquela frase maravilhosa: "Servo bom e fiel; no pouco foste fiel, sobre o muito te colocarei; entra no gozo do seu Senhor".

Que o Senhor nos abençoe. Amém.

(Síntese de uma mensagem ministrada em Temuco, em maio de 2006).