O servo hebreu

Um servo entra para servir na casa de um amo. O seu compromisso é lhe servir por seis anos, e ao sétimo sairá livre. Mas no transcurso desses anos o amo lhe dá uma mulher, com a qual se casa, e com a qual cria filhos. O amor o cativa, os laços se reforçam, o coração do servo se transborda em afetos para a sua mulher e para seus pequenos filhos. Logo chega o sétimo ano. A lei está ao seu favor, tem a prerrogativa de ir-se, mas deverá ir sozinho. Entrou sozinho, e deverá sair sozinho.

Pode obter a sua liberdade, mas em troca da sua solidão. O que fará? Para ele já não há dúvida. Ainda que outros não o entendam, e lhe tachem de louco, ele se inclina a favor dos que ama. Então diz: “Eu amo ao meu senhor, a minha mulher e aos meus filhos, não sairei livre:” Comunica-o ao seu amo, e este, de acordo à lei, solenemente, leva-o perante os juízes, faz-lhe parar-se junto à porta ou à trave, e lhe perfura a orelha com uma sovela, e o declara ao seu servo para sempre.

Um homem livre se faz a si mesmo escravo por amor. Um homem livre, que trabalhou seis anos a uma servidão doce de um amo carinhoso se converte a si mesmo em servo perpétuo.

Podem reconhecer neste servo a aquele Servo excelentíssimo, feito servo por amor depois de deixar a glória de seu Pai, de despojar-se de sua forma de Deus para tomar forma de servo? Ele se despojou a si mesmo, e esvaziou de tudo o que podia esvaziar para fazer-se homem.

Jesus amou tanto à sua esposa que Deus lhe deu –a Igreja– que aceitou assumir a servidão, e levar as suas marcas em seu corpo de carne para sempre. A sua existência no trono do Pai por todas as gerações estará sujeita a sua forma de homem, e em sua orelha –por assim dizer– está a marca de uma sovela que lhe feriu vivamente na Cruz do Calvário.

Ele foi quem melhor disse aquelas palavras: “Eu amo ao meu Senhor, a minha mulher e aos meus filhos, portanto, não sairei livre”. Oh, que vivo amor! Oh, e que cruel martírio sofreu por causa dos seus nobres afetos!

»»» Ver anteriores

EQUIPE REDATORA
Gonzalo Sepúlveda, Rodrigo Abarca, Roberto Sáez, Marcelo Díaz
TRADUÇÕES
Edward Burke Junior

Revista Águas Vivas
REVISTA ÁGUAS VIVAS
Nº 72


AGUAS VIVAS
Site em espanhol


LIVING WATERS
Site em inglés

SO PALAVRA DE DEUS
Site em portugués

VIDEOS EM YOUTUBE

ESQUINA DE COMUNÃO
Blog em portugués

CHARIS
Site em portugués

T. AUSTIN SPARKS
Site em portugués

***

REVISTA EM PORTUGUÉS
41 42 43 44 45 46 47 48 49
50 51 52 53 54 55 56 57 58
59
60
61 62 63 64 65 66 67
68
69 70
71

***