A luta de Jacó

"E lutou com ele um homem até o romper do dia" (Gn. 32:24).

A nossa carne insensata gosta de textos como este que exaltam a nossa capacidade e força diante de Deus. E, sobretudo, quando somos motivados pelos ensinos daqueles que dizem que a nossa oração pode vencer a Deus. Se fizermos uma vigília de uma noite inteira –dizem– podemos obter que ele cumpra o que desejamos. Se andarmos assim, demonstramos que somos mais que prevaricadores e que não conhecemos o Deus Soberano. "Lembrai-vos disto, e considerai; trazei-o à memória, ó prevaricadores. Lembrai-vos das coisas passadas desde a antiguidade; que eu sou Deus, e não há outro Deus, não há outro semelhante a mim. Que anuncio o fim desde o princípio, e desde a antiguidade as coisas que ainda não sucederam; que digo: O meu conselho será firme, e farei toda a minha vontade" (Is. 46:8-10).

O texto da passagem de Jacó pelo vale de Jaboque é o tempo que Deus vem a nós para realizar aquilo que ele deseja, independentemente da nossa vontade. Deus sempre falou com Jacó, mas ele sempre foi tardio em ouvir e sempre lutou contra a vontade de Deus. Jacó sempre quis estabelecer a sua própria vontade, e assim também ocorre conosco.

Ele sempre quis fazer prevalecer a sua vontade de trapaceiro –porque isso é o que quer dizer "Jacó"– seja no roubo da bênção da primogenitura, seja na aquisição da sua esposa por meio do trabalho, seja na fuga da ira do seu irmão. Toda a vida de Jacó foi uma luta para fazer prevalecer a sua vontade. Jacó é a nossa figura como pecador que resiste a Soberania, a Graça, a Bondade, a Misericórdia, e o chamamento de Deus.

Até aquele momento na passagem do vale de Jaboque –que quer dizer "luta"– ele sempre resistiu a vontade de Deus. No vale de Jaboque chegou o momento de Jacó conhecer aquele que o tinha escolhido desde o ventre de sua mãe. (Rom. 9:11-13). Deus teve que lutar com Jacó para que ele deixasse de lutar a favor de si mesmo. Tanto é assim, que mesmo Deus lutando com ele, ele ainda prevalecia. "E quando o homem viu que não podia com ele, tocou na juntura da sua coxa, e se desconjuntou a coxa de Jacó enquanto com ele lutava" (Gn. 32:25).

Aquele era o momento em que Jacó deveria deixar de lutar e receber a graça do Filho do Homem, Jesus, que lutou por nós e venceu. Lutamos toda a nossa vida e não sabemos que a nossa luta é contra Deus. Nossa luta só terminará quando vier o próprio Deus e tirar toda a nossa força; do contrário continuaremos resistindo (ver Atos 9:4-6).

Jacó foi mudado para Israel depois disso. Ele foi abençoado por Deus, fazendo-lhe uma nova criatura. Não mais um trapaceiro, mas aquele que anda com Deus e conhece a Deus. Precisamos deixar de lutar e nos humilhar debaixo da sua potente mão. A nossa necessidade não é lutar, mas sim conhecer a Deus e a Jesus Cristo que é a nossa vida eterna (João 17:3).

Diseņo descargado desde plantillas web gratis y profesionales.