O evangelho para os cristãos

No começo da epístola aos Romanos nos chama a atenção, que Paulo tenha dito aos irmãos o seu desejo de ir anunciar-lhes o evangelho (1:15). Enquanto disse pouco antes que queria comunicar-lhes "algum dom espiritual, a fim de que sejam confirmados" (1:11), parece-nos razoável, porque se trata de cristãos que já creram no evangelho, que já são salvos.

Mas o certo é que Paulo começa sua epístola com o evangelho, que é o evangelho para os cristãos de Roma. Isto se confirma em três versículos sucessivos (1:15-17), menciona a palavra, destacando alguns aspectos específicos. No primeiro Paulo expressa sua disposição para anunciar-lhes o evangelho; no segundo, diz que o evangelho é o poder de Deus para a salvação; e no terceiro, que no evangelho a justiça de Deus se revela por fé e para fé.

É geral a opinião que Romanos é a mais extensa e pormenorizada relação doutrinal de Paulo. Nela se tocam alguns dos tópicos fundamentais da fé cristã: a lei, a graça, a justificação, a redenção, a santificação, a glorificação, o Espírito, etc. É verdade que alguém pode ser um cristão sem conhecer alguns desses ensinos fundamentais, mas é verdade também que ninguém pode ser um cristão maduro ignorando-as.

De maneira que não é de se estranhar que Paulo esteja disposto a anunciar o evangelho "também" aos irmãos de Roma, a quem não conhecia de vista. (Este "também" nos dá a entender que era tarefa cotidiana de Paulo anunciar o evangelho aos cristãos).

Alguém pode desconhecer os ensinos de Romanos e ser um cristão perfeito? Mais ainda, pode alguém pretender servir a Deus passando por cima das experiências de Romanos? Pois não se trata só de conhecer as doutrinas, mas sim de ter as experiências que há por debaixo dessas doutrinas.

A lei não é preocupação só dos judeus, mas também dos cristãos, porque a lei tem expressões muito variadas em todos os homens, sejam judeus ou gentios. (E é por isso que Paulo fala da lei aos cristãos gentios de Roma). Todo cristão precisa saber como ser livre da lei, porque a lei, associada com a carne, produz a escravidão do pecado. Se não conhecermos a maneira de Deus de nos libertar da lei, não saberemos como ser livres do pecado.

Tampouco poderemos caminhar bem se não conhecermos experimentalmente o poder da graça, a única capaz de nos sustentar firmes. Pela graça somos conduzidos por um caminhar em vitória (ela nos rodeia), sustentados pelo Espírito Santo. Se estivermos sob a lei, o Espírito não terá base para operar em nós, pois ainda estaremos em nossa carne. Em seguida, todas essas coisas nos conduzem à experiência de viver no corpo que é a igreja.

Assim, passo a passo, Paulo nos mostra qual a resposta de Deus para as nossas maiores necessidades. Então podemos concordar com Paulo que verdadeiramente o evangelho é "o poder de Deus para a salvação", não só dos incrédulos, mas também dos crentes.

»»» Ver anteriores

EQUIPE REDATORA
Gonzalo Sepúlveda, Rodrigo Abarca, Roberto Sáez, Marcelo Díaz
TRADUÇÕES
Edward Burke Junior

Revista Águas Vivas
REVISTA ÁGUAS VIVAS
Nº 72


AGUAS VIVAS
Site em espanhol


LIVING WATERS
Site em inglés

SO PALAVRA DE DEUS
Site em portugués

VIDEOS EM YOUTUBE

ESQUINA DE COMUNÃO
Blog em portugués

CHARIS
Site em portugués

T. AUSTIN SPARKS
Site em portugués

***

REVISTA EM PORTUGUÉS
41 42 43 44 45 46 47 48 49
50 51 52 53 54 55 56 57 58
59
60
61 62 63 64 65 66 67
68
69 70
71

***