Homem de verdade, quem o achará?

"Muitos homens proclamam cada um a sua própria bondade, mas homem de verdade, quem o achará?" (Prov. 20:6).

"Homem de verdade" é aquele a quem a verdade o alcançou, ou, aquele que foi derrubado pela verdade. A verdade veio e despiu toda a sua mentira, sua falácia e sua irrealidade, sua desordenada auto-estima.

Poderia supor-se que a tal homem não convinha a verdade, já que ela veio desmoronar sua existência, a transtorná-lo tudo. Entretanto, ele se aferra à verdade que o quebranta (qual Jacó no vale do Jaboque), pois percebe nela a saída para a sua desventura oculta. Outros não sabem que atrás de seu sorriso há um pranto, que atrás de uma alegria externa se ocultam pesadas amarguras.

Agora a verdade tem mudado a mentira. Então, este homem bem pode ser chamado homem de verdade. Não é o homem que se glorifica em si mesmo por suas supostas capacidades, nem o que, cheio de justiça própria e refinada educação, menospreza aos menos dotados. "Certamente vaidade é todo homem" (Sal. 39:5). "Não há justo nem mesmo um" (Sal. 14:1-3).

O homem que proclama sua bondade, o único que procura é ser louvado pelos homens. Interessa-lhe a fama –não pode viver sem ela– e, qual um ator de teatro, é-lhe tão necessário o aplauso como comer ou respirar. "Terá que inventar algo, mentir se for necessário, mas terá que ficar bem parado de qualquer maneira". Não é de se estranhar que termine esgotado nesse permanente esforço.

O homem de verdade em troca, apressa-se a reconhecer seus enganos, a reparar o mal causado; humilha-se com sinceridade embora isto ponha em risco a sua reputação. A verdade lhe tem feito valente, não pode sofrer a falsidade. Teve um encontro com a verdade, conhece que diante de Deus não há pensamento oculto! Interessa-lhe a aprovação de seu Deus embora isto lhe signifique um conflito permanente com os homens. O sorriso do céu é seu único consolo.

Um homem de verdade. As mentiras ficaram atrás, como as trevas dão lugar ao novo amanhecer. O Sol de Justiça brilha agora para ele. Que descanso é não ter que agradar a ninguém! Que descanso é ser autêntico, real! Por isso o Sábio diz: "Compra a verdade e não a vendas!" (Pr. 23:23).

Cristo é a Verdade. Sua presença manifestou a irrealidade, o engano e a falsidade de quem presumia ser verdadeiro. Cristo despiu o homem que se elogiava a si mesmo na oração. Cristo trouxe luz ao coração dos que viam a palha no olho alheio sem ver a trave no próprio. Cristo em nós é a verdade encarnada. Em nós se produziu uma troca gloriosa, nossa mentira por Sua verdade. Quem é, então, um homem de verdade? É aquele que de verdade tem achado a Cristo, a Verdade.

Diseņo descargado desde plantillas web gratis y profesionales.