O tabernáculo (os materiais)

A partir do versículo 15, até o 30, do capítulo 26 de Êxodo nos fala dos materiais que estava construído o tabernáculo, quer dizer, as tábuas, suas bases, encaixes e barras. As tábuas eram de madeira de acácia, e deviam ser muito retas. A madeira representa a humanidade, e cada tábua simboliza os cristãos em particular. A acácia não é uma árvore direita, por isso devia ser submetida a algum processo para obter tábuas adequadas. Assim o cristão, precisa de um tratamento do Espírito para ser "endireitado" e edificado na casa espiritual de Deus.

As tábuas tinham uma medida muito especial: eram de um côvado e meio de largura e dez de comprimento. O dez representa a humanidade, e o côvado e médio –um número incompleto– nos mostra a insuficiência de cada tábua na Casa. Cada uma necessita da outra para alcançar a medida de três côvados – e o três é o número de Deus. Um cristão não é a igreja, mas onde há dois ou três reunidos no nome do Senhor, ali ele está no meio. Na casa de Deus, nenhum cristão é auto-suficiente; precisa ao menos de outro para completar a medida.

As tábuas eram de madeira, mas recobertas de ouro, o qual representa a divindade. Assim, o aspecto vil do homem é recoberto pela natureza divina. As pranchas se apoiavam sobre bases de prata, e a prata é, na Escritura, o metal da redenção. As tábuas já não têm raízes na terra –como quando eram árvores–, mas sim se apóiam na obra da cruz.

De ambos os lados das bases saíam encaixes, para unir uma base com a outra, e assim formar uma parede. Os encaixes nos falam do fruto de Cristo – o grão de trigo que caiu em terra. Portanto, é o fruto do Espírito, em suas nove expressões (Gál. 5:22-23), que mantém unidos os filhos na Casa de Deus. A natureza carnal é egocêntrica e divisória; só a vida divina é cristocêntrica e aglutinadora.

Para lhe dar direção e retidão ao conjunto das tábuas, ficavam cinco barras atravessadas, as quais também eram de madeira, recobertas de ouro. A do meio passava pelo meio das tábuas de um extremo ao outro. Essas barras representam os cinco ministérios de Efésios 4:11, que foram providos por Deus para lhe dar forma e direção à Igreja. Dos cinco, o mais importante é o apostolado, que é a barra do meio. As barras são sustentadas por anéis inteiramente de ouro, os quais representam a graça de Deus que os sustenta, para unir a Casa.

A Casa de Deus não pode tomar a forma devida sem esses ministérios providos por Deus. Durante muito tempo a Igreja ignorou isto, pelo qual a edificação se tornou deficiente. A responsabilidade recai normalmente sobre um só homem, que cumpre apenas um dos cinco ministérios.

Esta seção se fecha com as seguintes palavras: "Então levantarás o tabernáculo conforme o modelo que te foi mostrado no monte" (v. 30). Assim também, a edificação da Casa hoje tem que ter em conta o modelo de Deus para sua Igreja. Qual modelo? O modelo que é prefigurado aqui.

Diseņo descargado desde plantillas web gratis y profesionales.