Lutas espirituais

Nas Escrituras encontramos por muitas vezes que o homem é inimigo de Deus, mas não encontramos em nenhum lugar dizendo que Satanás é inimigo de Deus (Tg. 4.4). Mas as Escrituras dizem em muitos lugares que Satanás é o nosso adversário, o inimigo das nossas almas (I Pd. 5.8). Um inimigo que com astúcias e artimanhas enganam e tentam os homens desde o princípio –como aconteceu com os nossos pais no jardim do Éden–, e o fará até o último dia, antes do grande trono branco quando será definitivamente lançado no lago de fogo, preparado para ele mesmo e para os seus anjos (Ap. 20.10; Mat. 25.41).

Esse inimigo é mais poderoso que nós, muitas vezes como gigantes, e não podemos vencê-lo por nós mesmos, e muito menos com as nossas armas carnais. Essas lutas são nos lugares celestiais (Ef. 6.12). Mas encontramos um propósito bendito de Deus nesta luta, e até podemos dizer que o próprio Deus é quem deixou esses inimigos para nos exercitar na batalha: "Estas, pois, são as nações que o Senhor deixou ficar, para por elas provar a Israel, a saber, a todos os que não sabiam de todas as guerras de Canaã. Tão-somente para que as gerações dos filhos de Israel delas soubessem (para lhes ensinar a guerra), pelo menos os que dantes não sabiam delas" (Juízes 3.1-2).

Às vezes atribuímos a Satanás aquilo que semeamos na carne. Colhemos o que plantamos. Se semearmos na carne colheremos corrupção, mas se semearmos no Espírito, ceifaremos vida eterna. As lutas espirituais têm como propósito o crescimento espiritual. Como vimos no verso de Juízes 3, é para nos exercitar e ensinar na guerra. Elas são para fazer-nos amadurecer espiritualmente e conhecermos o nosso Senhor Jesus Cristo, o vitorioso (Apoc. 6.2), aquele que tem escrito no seu manto e na sua coxa: Rei dos reis e Senhor dos Senhores. Aleluia!

Temos aprendido do Senhor que chegou o tempo de deixarmos de sermos meninos e nos tornarmos jovens espirituais. O menino conhece o Pai, mas o jovem é forte e vence o maligno (I Jo. 2.14). Muitas vezes pensamos que apenas com orações vencemos o maligno. As orações são para expor a nossa fraqueza e a nossa esperança em nosso Deus diante dos nossos inimigos, mas a vitória vem pelo sangue do Cordeiro e pela palavra do seu testemunho (Apoc. 12.11). Pelo sangue precioso que nos perdoou, nos comprou e nos justificou e pela Palavra de Deus.

As orações são para clamarmos para o nosso Deus, o Deus dos Exércitos, que peleja por nós contra os nossos inimigos para nos salvar (Deut. 20.4), mas a fortaleza vem do Senhor, e para isto nos preparou uma armadura para resistirmos o dia mau, e também entramos na batalha (Ef. 6.10-18).

Esta luta não é pessoal, porque esta armadura não cabe em um membro, é para a Igreja, para todo o Corpo. O que é o pé calça as sandálias, o braço empunha o escudo, a mão a espada, os lombos a couraça, e assim por diante. A vitória também não é pessoal, mas de todo o Corpo: "E eles o venceram". Em todas essas coisas somos mais do que vencedores, por aquele que nos amou, e a alegria do despojo será eterna. Bendito seja o nosso Senhor!

»»» Ver anteriores

EQUIPE REDATORA
Gonzalo Sepúlveda, Rodrigo Abarca, Roberto Sáez, Marcelo Díaz
TRADUÇÕES
Edward Burke Junior

Revista Águas Vivas
REVISTA ÁGUAS VIVAS
Nº 71


AGUAS VIVAS
Site em espanhol


LIVING WATERS
Site em inglés

SO PALAVRA DE DEUS
Site em portugués

VIDEOS EM YOUTUBE

ESQUINA DE COMUNÃO
Blog em portugués

CHARIS
Site em portugués

T. AUSTIN SPARKS
Site em portugués

***

REVISTA EM PORTUGUÉS
41 42 43 44 45 46 47 48 49 50 51 52 53 54 55 56 57 58 59 60
61 62 63 64 65 66 67 68 69 70

***